Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

coitadinhodocrocodilo



Terça-feira, 11.12.12

Como se faz um bebé

Já reparei que as conversas com o meu filho resultam muito bem quando estamos dentro do carro. São curtas, directas e muito didácticas. Normalmente para ambos.

Há poucos dias, fui à reunião de pais da praxe, onde se falou num tema que a escola insiste em abordar nas turmas de 5 anos: como nasce um bebé. Acho o assunto muito interessante, mas não é consensual entre os progenitores. Haverá alguns com medo que as crianças sejam demasiado curiosas e façam perguntas que eles não querem responder. Temos pena, não tivessem filhos.

Nem de propósito, ia eu no carro (o percurso escola-casa dura 3 minutos e é a síntese do noticiário escolar) quando o Duda diz todo contente que um dos amiguinhos vai ter uma mana. Que estranho, não me lembro de ver a mãe grávida… Mas há sempre aquelas grávidas horrosas que não engordam, não crescem, não incham, não parecem um barril de pólvora e continuam iguais, sem grande apetite (Bahhhhh)… Ele diz-me que não, não está grávida. Pronto, vão adoptar! Que coisa maravilhosa, alguém que pensa como nós!!!

Também não. Deixo-vos o relato da concepção da mana do amigo: 

- Ele vai pedir à mãe para pedir ao pai que coloque uma sementinha na boca dela para depois ela ir para casa.

Esclarecidos? Eu também não. Resolvi investir na conversa, que me parecia interessante. Adivinha-se um swell à maneira! Já só tenho 2 minutos. Então, vamos recapitular: o pai põe a semente na boca da mãe e como é que nasce o bebé?

- Ó mãe, daaaaa. A semente vai da boca para a barriga e o bebé alimenta-se pelo cordão alimentar (cordão alimentar contra a fome! Hi, hi, hi) e depois ela vai para a casa.

- Porquê?

- Porque fica gorda e cansada. Tu também foste!

Toma lá morangos!!! E com esta ficaste estendidinha. Bom, eu tinha ouvido falar de pessoas que emprenham pelos ouvidos, mas pela boca nunca. E se a criancinha, num acto de iluminação mental, questionasse porque engravidamos com essa semente e não engravidamos quando comemos feijão verde? Isso sim, é difícil explicar!

Tenho uma teoria que tem funcionado bem até agora – pode ser que um dia me esbarda-lhe ao comprido – que consiste na simples técnica de perguntar para responder. Isto é, temos um assunto complicado de explicar. Não fugimos, fazemos perguntas. Eles têm que pensar para responder, perdem entretanto o fio à meada e, nesse instante, nós damos o tema por terminado. Acabou o tempo, chegámos a casa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por coitadinhodocrocodilo às 10:32



Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031